Nick

By Cleber Eldridge - 11:10


Os dias dele eram assim, ele bebia pra esquecer os problemas, fumava porque já não tinha como voltar atrás, transava porque como ele mesmo pensava, era uma necessidade masculina, sair durante as noites sair com qualquer uma ou qualquer um, de acordo com o dia que ele estava, beber, fumar, transar e voltar tarde pra casa, não sentir nada, particularmente, no começo doeu não sentir nada, agora eu sou como você, não sinto nada, as noites chegam e eu nem sempre estou na companhia dele, quando estou é sempre aquela coisa, as garrafas ficam lá embaixo, o cinzeiro está sempre cheio de bitucas, no dia seguinte, eu acordo e lá estamos sem roupa na cama, eu não sinto nada, acordo, tomo meu banho, volto para o quarto e olho para ele jogado na cama, não sinto nada, nadinha, não sinto dó de mim, muito menos dele, o que eu enxergo é que dentro dele existe algo ou alguém, só que ele fazia questão de esconder por trás daquela expressão de poucos amigos, de briguento, existia alguém que precisa de algo, talvez de mim, verdade era que o Nicolau gostava que abusassem do corpo dele, eu mesmo cansei de me acabar naquele corpo, só que eu não estava feliz com aquilo e por mais que a impressão que me passasse era de satisfação, ele não conseguia me esconder que queria algo a mais, não sei se propriamente de mim, mas que sim, queria algo a mais, fiz o que podia por ele, só que não posso fazer muito por alguém que não sente nada e faz com que eu sinta nada, só desejo sexual.

  • Share:

You Might Also Like

1 comentários

  1. Belíssima crônica e perpassada por profunda e sábia reflexão.
    Seu epílogo foi fantástico.

    Parabéns

    Beijão

    ResponderExcluir